Documento Cultural Jirau

Resultados


    • A primeira atividade desenvolvida pelo Programa foi elaborar um Projeto Científico dando conta das abordagens e procedimentos necessários para atender o Patrimônio Cultural envolvido na área de estudo, ou seja, a área da UHE Jirau. Protocolado no IPHAN e devidamente aprovado, o Projeto Científico recebeu a Portaria de Pesquisa n. 9, Anexo I/8, publicada no Diário Oficial da União em 27/04/2009.

    • Os estudos arqueológicos na área foram iniciados através de levantamentos sistemáticos na área do Canteiro de Obras e do Pólo de Desenvolvimento de Porto Velho. Estão sendo abertas centenas de sondagens neste trecho, objetivando reconhecer possíveis vestígios arqueológicos enterrados no subsolo da área. Este trabalho está sendo detalhadamente registrado em mapas de localização dos trabalhos, fichas de prospecção, análises da estratigrafia da área, banco de imagens e vídeos científicos. Concluídos os trabalhos no Canteiro e no Pólo, as pesquisas se estenderão para a área do futuro lago da UHE.

    • Como resultado deste levantamento estão sendo identificados diversos sítios arqueológicos, resultando em grande volume de documentos de registro e análises científicas.

    • Integrado à pesquisa arqueológica estão sendo realizados estudos históricos, especialmente voltados à compreensão dos processos de formação das paisagens culturais. Está sendo realizado um levantamento de mapas, fotografias e ilustrações históricas, que demonstram a evolução do ambiente e da cultura regional, ao longo dos séculos.

    • Especialistas em arquitetura histórica realizam também o registro do patrimônio edificado presente na região da UHE Jirau, resultando em um Cadastro de Patrimônio Edificado. Especial atenção é dada para o trajeto da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, incluindo suas estações e pontes, uma vez que a EFMM constitui um importante cenário histórico regional.

    • Todo este trabalho está sendo descrito em Relatórios de Andamento protocolados no IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), órgão que acompanha as pesquisas e garante o fiel cumprimento da legislação brasileira sobre Patrimônio Cultural. O material foi organizado também em Plataformas Multimídia/CD.

    • Em paralelo ao embasamento científico das pesquisas estão sendo desenvolvidas ações de Educação Patrimonial e Arqueologia Pública, que buscam integrar os conhecimentos e sabedorias da comunidade ao Programa, bem como suas sugestões e recomendações. Estas ações abrangem:

- Exposições Oficina

- Oficinas Culturais

- Museu Virtual

- Arqueo Parque

- Cartilha Patrimonial

- Ferramentas Educativas

- Material didático para professores


     O envolvimento e a integração com a comunidade também serão sustentados por canais de comunicação direta, as chamadas Mídias Sociais. Virtualmente a comunidade poderá, de forma continuada, colocar seus comentários, dúvidas, expectativas e depoimentos sobre a história de desenvolvimento da região, assim como, dialogar com os cientistas e compartilhar o seu conhecimento.

     O resultado final dessa cooperação é a elaboração de um Plano de Manejo abrangendo o resultado das pesquisas, o conhecimento adquirido e os acervos coletados. Este Plano objetiva buscar sinergias com as demais iniciativas culturais da região, contribuindo para a gestão do patrimônio cultural estudado e a promoção e continuidade futura das ações e de seus benefícios.



Resultados obtidos:


1ª Exposição Oficina Jirau (Mutum-Paraná)

    A apresentação da Exposição Oficina Jirau na Escola Municipal Nossa Senhora de Nazaré, em Mutum Paraná, envolveu mais de 500 crianças das turmas da manhã e tarde, além de jovens e adultos do EJA no período noturno. Divididos por turmas organizadas pelos professores, todos os alunos passaram pelo Circuito Cultural formado na entrada e nos corredores da escola.

    Através de um família de banners contendo textos explicativos, imagens das atividades e notícias, foi feita apresentação do "Programa de Gestão do Patrimônio Arqueológico, Histórico e Cultural da UHE Jirau" e dos resultados apresentados até a presente fase.

    Durante a Exposição foi apresentado o blog, especialmente criado para a integração dos esforços e o envolvimento das comunidades. Ponto importante foi conseguir simultaneamente sensibilizar os presentes a participarem do Programa, iniciando-se as inscrições e fornecimento de contribuições para continuidade dos trabalhos. Dessa forma alcançou-se uma maior interação com os participantes, que puderam se registrar e deixar seus depoimentos sobre o evento.


2ª Exposição Oficina Jirau (Jaci-Paraná)

    A apresentação da Exposição Oficina Jirau na Escola Municipal Vicente Rondon, em Jaci Paraná, envolveu mais de 150 crianças das turmas da manhã e tarde, além de jovens e adultos do EJA no período noturno. Durante os trabalhos foi apresentado o blog a todos os participantes, como ferramenta adicional de integração.

    O trabalho com as crianças, todas do ensino fundamental, explorou especialmente as imagens apresentadas nos banners que compõem a Exposição. Neles foram reconhecidas pessoas da comunidade em ações cotidianas que remetem a conhecimentos e práticas tradicionais: a confecção de barcos que navegam pelo rio Madeira, a pesca de rede e de arco e flecha, o garimpo, etc. As imagens traziam ainda ilustrações de sítios arqueológicos, e as gravuras rupestres sobre blocos de rocha nas corredeiras do Madeira eram velhas conhecidas.

    Dentre as contribuições destaca-se também o fornecimento, pela Escola, de exemplares de diversas publicações feitas com a participação de seus profissionais, sobre a História e a Cultura local. Este material estará sendo digitalizado e disponibilizado no blog, na busca de uma convergência de conhecimentos e valorização da memória regional.

    A equipe se empenhou para alcançar os melhores resultados com a Exposição, reflexo de sua prévia preparação.


3ª Exposição Oficina Jirau (Abunã)

    A apresentação da Exposição Oficina Jirau em Abunã ocorreu para um grupo de 30 pessoas da melhor idade, ligados ao “Grupo de Idosos Paz e Amizade”. O encontro ocorreu na sede da Escola Municipal Marechal Rondon, gentilmente cedida por sua diretoria.

    Foi feita, inicialmente, apresentação do "Programa de Gestão do Patrimônio Arqueológico, Histórico e Cultural da UHE Jirau", com destaque para seu objetivo de construir uma história conjunta, a partir das histórias de vida dos membros da comunidade como vetores de conhecimentos e memórias. E o circuito formado pela família de banners da Exposição trouxe muitas memórias. Foram coletados vários depoimentos de antigos trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, ex-soldados da borracha, garimpeiros e extrativistas. Teve destaque a participação das mulheres, que igualmente relataram suas vivências em cada um destes contextos.

    Alguns participantes rumaram rapidamente para suas casas e trouxeram fotos antigas e livros de memória. Cinco participantes buscaram também seus instrumentos musicais, e com eles animaram a Exposição com músicas e cantos regionais.

    Na apresentação do blog como ferramenta adicional de integração do Programa e contato entre as comunidades envolvidas, diversos presentes indicaram que estariam dando o endereço eletrônico para seus filhos, netos e amigos que, morando em outros estados brasileiros, poderiam revê-los e perpetuar as tradições e culturas locais.

    A avaliação final do evento indicou o sucesso, integração e interatividade entre todos que estavam presentes!

Grupos

© 2019   Criado por Documento Projetos Planejamento.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço